Trata-se de um sistema para acompanhamento de hábitos e rotinas do idoso com condição crônica para redução dos custos das operadoras de planos de saúde e autogestão. A proposta de valor está focada em quatro metas: diminuir as internações clínicas, reduzir as passagens pelo Pronto Socorro (PS), gerar indicadores de desempenho para acompanhamento dos resultados e fidelizar o atendimento na rede própria para diminuir os custos. Para alcançar estas metas, será utilizado um sistema que se baseia em Internet de todas as coisas (IoE), tecnologia vestível e algoritmos analíticos.

Plataformas:

Web

Características:

Público Alvo:


Estágio de Evolução:

Protótipo

Updates:

Sem atualizações

Descrição Detalhada:

O idoso será monitorado por um conjunto de sensores vestível que irão capturar as seguintes informações: glicemia, pressão arterial, oxigenação no sangue, frequência cardíaca, quantidade de movimento, GPS, data e horário. Estas informações serão enviadas pelo sinal de celular para um sistema nas nuvens que irá analisar estas informações por meio de um mapa de regras. Este mapa irá classificar o idoso no seu estado de alerta (alto risco, médio risco e baixo risco) e também sua patologia (diabetes, hipertensão, doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC), cardiopatia e depressão). Dessa forma será possível aplicar dois protocolos de operação caso a situação esteja em alerta de alto risco ou médio risco (cada um tem um protocolo específico). Além disso, existem informações para execução de um protocolo funcional. Neste caso, os dados estão relacionados ao endereço onde o idoso está presente para possível envio de uma ambulância ou enfermeiro até ele. E também a informação relacionada à presença do idoso em um hospital da rede credenciada. Para que a equipe da autogestão possa se comunicar com este idoso e verificar a possibilidade de uma intervenção antes que ele de entrada no pronto socorro da rede credenciada. O sistema também gera automaticamente para o gestor do programa de medicina preventiva informações que ele utilizará na geração dos documentos a serem enviados anualmente para a ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar) e indicadores chaves de desempenho para análise financeira do programa. Estes indicadores norteiam as seguintes informações: 1.) Número de idosos monitorados e de desistência ou mal uso do sistema. 2.) Número de intercorrência (semanal): alerta amarelo (médio risco) e/ou alerta vermelho (alto risco) com patologia (diabéticos, hipertensos, cardiopatas, DPOC e depressão). 3.) Número de evolução do quadro: Piora (passagens do verde para o amarelo e do amarelo para o vermelho); Melhora (do vermelho para amarelo; amarelo para o verde). 4.) Número de consulta ambulatorial (patologia), consultas em PS (patologia) e de internações clínicas (patologia) por idoso. 5.) Número de internações clínicas evitadas (foi no PS e não internou) e de PS evitadas (foi na consulta clínica ou não precisou ir no PS). 6.)Valor financeiro estimado da economia mensal (média da internação clínica e de PS por patologia e média de consulta). A proposta do sistema é monitorar o idoso com condições crônicas e buscar intervir antes que ele tenha um quadro crítico. Isto irá diminuir os custos das operadoras de plano de saúde e autogestão, pois permite antecipar um quadro que poderia ser tratado a um custo menor para um quadro onde os valores são muito mais altos para recuperar este idoso.

Apresentação:

Apresentação inválida

Equipe:

Nome: Antonio Valerio Netto

Função: Empreendedor

Contato:

E-mail: valerio@virtualcare.net.br

Telefone: (11) 98260-2303